Hospital do Bem descobre e está tratando tipo raro de câncer de mama que é o 9º caso identificado no mundo

hospital do bem descobre e esta tratando tipo raro de cancer de mama que e o 9o caso identificado no mundo - Hospital do Bem descobre e está tratando tipo raro de câncer de mama que é o 9º caso identificado no mundo

Um tipo raríssimo de câncer de mama foi, recentemente, identificado pela equipe de médicos oncologistas do Hospital do Bem, em Patos. Trata-se de um carcinoma metaplásico de células fusiformes, responsável por menos de 1% dos diagnósticos, sendo, este o 9° caso em todo o mundo.  O fato chamou atenção de equipes de centros oncológicos de São Paulo que já solicitaram um acompanhamento da evolução da paciente, visto que não se tem pesquisas sobre esse tipo de câncer e nem protocolos estabelecidos para tratamento, sendo este realizado apenas com base em relatos de casos. Embora apresente o pior prognóstico dos canceres, a ocorrência que está sendo tratada na Paraíba não desanima os médicos já que a paciente não tem metástase, tem apenas 36 anos, não tem doenças pré-instaladas como diabetes ou hipertensão, e está sendo bem acompanhada, o que facilita o sucesso de seu tratamento.

hospital do bem descobre e esta tratando tipo raro de cancer de mama que e o 9o caso identificado no mundo 300x169 - Hospital do Bem descobre e está tratando tipo raro de câncer de mama que é o 9º caso identificado no mundoA médica oncologista, Dra. Nayarah Potyara (foto), que está à frente do caso no Hospital do Bem, explica que o carcinoma ductal invasivo é o tipo mais comum entre os cânceres de mama. Cerca de 80% dos diagnósticos de câncer de mama são carcinomas ductais invasivos, que se inicia em um duto de leite, rompe a parede desse duto e cresce no tecido adiposo da mama. No entanto, no final do mês de maio, surgiu um caso especial que acometia a mama direita de uma jovem, com 36 anos apenas, da cidade de Matureia, mas com forte histórico de câncer de mama da família.

A mãe, uma tia e uma prima da paciente, cujo nome não será revelado para preservar sua identidade, faleceram de câncer de mama, o que levou a jovem a procurar o serviço de saúde logo que detectou mudanças na mama. “É uma variante muito rara e ele apresenta uma variedade de padrões histológicos que dificulta o diagnóstico pela mamografia. Então, a paciente foi submetida à mastectomia e, com a peça, realizamos um exame muito específico para identificar o tipo de cancro. Só através dele que conseguimos diferenciar”, explicou a médica, frisando que esse tipo de câncer não se diferencia muito dos demais a não ser pelas suas manifestações clínicas. “Esse carcinoma apresenta forte metástase e é muito agressivo, mas estamos confiantes”, disse a médica.

Pela sua raridade, o tratamento ainda não está estabelecido, sendo a remoção do tumor associada à terapia adjuvante o melhor caminho. A paciente, inclusive, já iniciou seu tratamento no Hospital do Bem, na semana passada, e seu prognóstico, segundo a médica oncologista, Dra. Nayarah Potyara, ao contrário do que demonstra dos relatos de casos, é bastante positivo, tendo em vista que se trata de uma paciente jovem, sem metástase e sem doenças pré-instaladas como diabetes ou hipertensão. “Esse é um tipo de câncer que tem o pior prognóstico dentre todos, mas estamos confiantes no tratamento”, afirmou a medica.

A paciente está fazendo tratamento de Quimioterapia com quatro sessões de séries vermelhas, a cada 14 dias e 12 sessões de série branca, semanalmente. O tratamento é semelhante ao do carcinoma ductal invasivo. Ela está internada no Hospital do Bem há dois meses e, quando receber alta da quimioterapia, poderá fazer a reconstrução mamária. O caso será acompanhado também por médicos de São Paulo, haja vista a relevância da doença para a comunidade científica brasileira pela sua raridade e falta de pesquisas que norteiem o seu tratamento.

O exame que identifica o tipo de câncer que a doutora Nayarah se refere é o imuno-histoquímico (uma biópsia), realizado através do próprio Hospital do Bem e que é um método de análise dos tecidos via microscópio para identificar características moleculares das doenças. A análise tem diversas aplicações, como o diagnóstico de doenças inflamatórias, infecciosas e neoplasias, sendo determinante também no prognóstico do câncer, já que o exame pesquisa moléculas associadas a diferentes tipos de tumor.

O Hospital do Bem faz parte do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos e oferta serviços de diagnóstico, tratamento ambulatorial com consultas médicas, cirurgias oncológicas e quimioterapia para os casos de câncer mais incidentes na região que são os de próstata, mama, colo de útero e pele. O Hospital tem 25 leitos de internação, uma ampla sala para quimioterapia com espaços para dez tratamentos simultâneos, além de enfermarias clínica, cirúrgica e de retaguarda, entre outros espaços, além de diversos exames de ultrassonografia com Doppler; tomografia; endoscopia; eletrocardiograma; exames laboratoriais e Raio X. Há ainda os exames de ressonância magnética e cintilografia óssea, que são terceirizados, mas custeados pelo poder público, através do SUS.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: