Hong Kong foi a cidade mais visitada do mundo em 2019; Rio deixa de ser uma das 100

hong kong foi a cidade mais visitada do mundo em 2019 rio deixa de ser uma das 100 - Hong Kong foi a cidade mais visitada do mundo em 2019; Rio deixa de ser uma das 100

 


Rio de Janeiro cai no ranking das cidades mais procuradas pelos turistas

Rio de Janeiro cai no ranking das cidades mais procuradas pelos turistas

Assim como nos últimos cinco anosHong Kong segue sendo a cidade mais visitada do mundo. Apesar de ter registrado uma queda de 8,7% no número de visitantes em relação a 2018, a metrópole chinesa anotou 26, 7 milhões de chegadas na projeção deste ano.

O ranking é fruto de um relatório da Euromonitor International, empresa global de pesquisa de mercado, que reúne cerca de 400 cidades para compor o relatório.

Como o ranking foi fechado antes de novembro e dezembro, a empresa realiza um cálculo estimado que contemple o quantitativo que esses dois meses ainda vão gerar.

Atrás de Hong Kong, a segunda cidade mais visitada também segue sendo Bangkok, a capital da Tailândia, e o terceiro lugar ficou com Macau, na China.

Rio de Janeiro, cidade brasileira mais bem colocada, sai do ranking das 100 mais visitadas, apesar de ter registrado aumento no número de chegadas.

Em 2018, ocupou o 98º lugar, mas, levando em conta os números de 2019, a projeção derruba a cidade em seis posições. No ano passado, foram 2, 2 milhões de chegadas na capital fluminense. Neste ano, foram 2, 3 milhões de chegadas.

Confira abaixo as 20 cidades mais visitadas em 2019

  1. Hong Kong (China): 26.716.800 chegadas em 2019
  2. Bangkok (Tailândia): 25.847.800 chegadas em 2019
  3. Macau (China): 20.637.100 chegadas em 2019
  4. Singapura (Singapura): 19.760.800 chegadas em 2019
  5. Londres (Reino Unido): 19.559.900 chegadas em 2019
  6. Paris (França): 19.087.900 chegadas em 2019
  7. Dubai (Emirados Árabes): 16.328.300 chegadas em 2019
  8. Deli (índia): 15.196.500 chegadas em 2019
  9. Istambul (Turquia): 14.715.900 chegadas em 2019
  10. Kuala Lumpur (Malásia): 14.072.400 chegadas em 2019
  11. Nova York (Estados Unidos): 14.010.000 chegadas em 2019
  12. Antália (Turquia): 13.332.100 chegadas em 2019
  13. Mumbai (Índia): 12.442.400 chegadas em 2019
  14. Shenzhen (China): 12.324.100 chegadas em 2019
  15. Phuket (Tailândia): 10.965.200 chegadas em 2019
  16. Tóquio (Japão): 10.443.100 chegadas em 2019
  17. Roma (Itália): 10.317.000 chegadas em 2019
  18. Agra (Índia): 10.127.400 chegadas em 2019
  19. Taipé (Taiwan): 9.981.700 chegadas em 2019
  20. Pattaya (Tailândia): 9.951.900 chegadas em 2019

Segundo Marília Borges, analista sênior da Euromonitor International, a Copa América e o Rock in Rio ajudaram a manter o Rio na faixa de dois milhões de turistas.

“Investimentos em atrações turísticas, como a roda-gigante Rio Star, dão senso ao movimento dessas empresas. Além disso, a deterioração do real frente ao dólar acaba tornando o destino mais atrativo aos turistas que vem do Hemisfério Norte. Todos esses fatores podem contribuir para que o Rio de Janeiro mantenha a posição frente a ascensão de outras cidades que passam a ganhar popularidade”, disse ao G1.

Veja quatro dicas de passeios gratuitos no Rio de Janeiro

Veja quatro dicas de passeios gratuitos no Rio de Janeiro

Método do relatório

As chegadas são definidas como turistas internacionais, ou seja, qualquer pessoa que visita outro país por pelo menos 24 horas, por um período não superior a 12 meses e permanecer em alojamento coletivo ou privado, pago ou não.

Cada chegada é contada separadamente e inclui pessoas que viajam mais de uma vez por ano e pessoas que visitam várias cidades durante uma viagem.

As chegadas abrangem todos os propósitos da visita, como negócios, lazer e encontros com amigos e parentes.

Os analistas excluem visitantes domésticos, visitantes do mesmo dia, pessoas em trânsito e passageiros de cruzeiros, pois, segundo a Euromonitor International, isso pode distorcer números de chegadas em importantes passagens de fronteira e destinos de cruzeiros, respectivamente.

O relatório exclui também pessoas com emprego remunerado no exterior. Estudantes que ficam no país por um período superior a 12 meses são excluídos e são considerados residentes temporários.

Militares também não entram na conta.

 

Por Lucas Rezende, G1

Texto e fotos: G1 (grupo Globo)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: