Notícias da Paraíba, Brasil e do Mundo Sobre Política, Esportes, Saúde, Entretenimento, Religião, Ecoônomia, Dinheiro!

João Pessoa 23 de agosto de 2017   05:04

Renato Gadelha denuncia uso eleitoreiro de águas da Transposição

Postado em: 10 ago 2017  | 14:46:09

O deputado estadual Renato Gadelha (PSC) usou a Tribuna da Assembleia Legislativa para condenar o que ele considera uso eleitoreiro das águas do São Francisco. Ele se refere ao anúncio do fim do racionamento em Campina Grande e a liberação do uso das águas de Boqueirão para irrigação. Renato chamou atenção para o fato de que em dezembro de 2014, quando foi iniciado o racionamento, “Boqueirão tinha menos de 100 milhões de m3, e hoje não passa dos 26 milhões. Vejo pessoas que fizeram de tudo para atrasar a chegada do São Francisco querendo fazer uso eleitoreiro das águas”. Renato afirmou que se não fosse a ação do Ministério da Integração, Campina Grande teria entrado em colapso.

Gadelha entende que quando as águas atingirem níveis seguros, podem, e devem, ser utilizadas para irrigação. “Mas em um momento como o que vivemos, sem que haja uma vazão adequada no eixo Leste, é uma irresponsabilidade sem precedentes do Governo do Estado, só justificada como uma tentativa insana de alavancar a natimorta candidatura do Secretário João Azevedo”.

Renato Gadelha ainda lembrou que não é a primeira vez que o governador brinca com a sociedade. “Esperança está desabastecida há meses, mas o Governador garantiu o abastecimento na cidade como forma de beneficiar o seu candidato a prefeito. A população de Esperança teve água por nada mais do que dois meses, apesar de ser um polo industrial do Brejo Paraibano”.

Ainda no tema abastecimento hídrico, Renato cobrou explicações do Governo a respeito de uma obra paralisada na região de Barra de São Miguel. Dados oficiais apontam para mais de 50% de recursos liberados, “porém a obra tem apenas 19% de execução e encontra-se paralisada e a região, mais uma vez, prejudicada pela irresponsabilidade do Governo do Estado. Espero uma explicação urgente para este caso que vem prejudicando milhares de pessoas, sem falar no incerto destino dado aos recursos”, finalizou.