Raoni critica gestão municipal e pede apoio para credenciamento de equipes da Saúde Bucal

Notícias

O democrata Raoni Mendes solicitou ao Diretório Estadual do seu partido, através do deputado federal Efraim Filho (DEM), uma audiência junto ao Ministério da Saúde para encontrar soluções sobre as 192 equipes de Saúde Bucal descredenciadas do Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. O motivo do descredenciamento, segundo o parlamentar foi que a Secretaria de Saúde de João Pessoa teria perdido o prazo de 120 dias para o cadastramento junto ao Ministério da Saúde de novas equipes.

Raoni Mendes explicou que a falta de atenção por parte da Secretaria Municipal de Saúde pode prejudicar o repasse do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde. “Além do mais, para as equipes de saúde bucal Pode gerar o caos e desemprego das equipes. Sem contar que os trabalhadores da Saúde estão há mais de 5 anos sem reajuste salarial, exceto os médicos”, explicou.

Ele fez um pedido ao deputado Efraim Filho para que possa colaborar para que não ocorra prejuízos. “Em meio a tantas dificuldades que o pessoense já passa na busca do acesso, eu queria fazer esse apelo para encaminhar uma audiência junto ao Ministério da Saúde na busca da solução para o descredenciamento da saúde bucal, já que infelizmente ocorreu o desligamento dessa equipe. Seja qual for o motivo, a população não pode pagar pela mal administração municipal”, disse.

A Secretaria de Saúde da Capital alegou que “A portaria publicada trata do indeferimento do pedido de ampliação das equipes de saúde bucal, solicitadas em 2013”. Através de nota, eles alegaram que estas equipes estavam sendo requisitadas para quando houvesse a necessidade de implantação da unidade. A rede já contava serviço credenciado, para habilitação.

O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União o descredenciamento das equipes da Saúde Bucal de João Pessoa. Ao todo, 192 equipes que teriam que ser cadastradas no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde em um prazo máximo de quatro meses (120 dias) após a publicação da portaria de credenciamento foram descredenciadas do sistema por descumprimento de prazo estabelecido na Política Nacional de Atenção Básica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *